Como comprar ingressos de Gramado e Canela online

Gramado e Canela são os destinos mais procurados no sul do Brasil. E não é por menos, né, as cidades são muito bonitas, o povo é super hospitaleiro e tem atrações para todos. Nós as visitamos todos os anos e já escrevemos várias dicas aqui no blog.

E agora temos um parceiro que vem para completar as nossas dicas. Você lê os posts de Gramado aqui e de Canela aqui e se ficar com vontade de visitar os mesmos lugares, pode contar com a TourOn para te ajudar no planejamento da viagem. A TourOn é uma agência online lá de Gramado e no site você compra os ingressos antecipados e ainda pode parcelar o pagamento em até 6 vezes.

Onde ficar em Quebec, Canadá

Quebec é uma cidade charmosa e muito procurada pelos turistas, portanto, lugar para se hospedar em Quebec é o que não falta. Mas mesmo assim pode ser que na alta temporada fique mais difícil encontrar opções, como aconteceu conosco.

Fomos na primeira quinzena de junho, início da temporada de verão, e os hotéis estavam lotados. Mas conseguimos uma hospedagem que é uma graça e muito bem localizada.

17 dicas que você precisa saber antes de ir para o Canadá

O Canadá é um país incrível, e você vai cansar de nos ouvir falar isso aqui porque ficamos encantados. Passamos por Montreal, Quebec, Ilê d’Orleans, Toronto e Niagara Falls.

Teve viagem de trem, passeio de carro, passeio de helicóptero, passeio de barco, muuuita caminhada, metrô, streetcar, comidinhas, compras, paisagens. Foi simplesmente demais.

Antes de contarmos tudo o que vimos e vivemos por lá, vamos falar sobre a pré-viagem, a parte de como se planejar e o que você deve saber antes de embarcar para o Canadá.

Temos certeza que se você ainda não conhece o Canadá, vai querer conhecer. E se já conhece, vai querer relembrarEntão vem com a gente.

O que você precisa saber antes de embarcar para o Canadá

1. Onde fica o Canadá?

O Canadá fica na América do Norte, bem lá em cima no mapa mundi. Faz fronteira a sul e noroeste (Alasca) com os Estados Unidos, constituindo a maior fronteira terrestre do mundo. A leste está o Oceano Atlântico, a oeste o Oceano Pacífico e a norte o Oceano Ártico.

O país é considerado o segundo maior do mundo com 9.984.670 km² e conta com uma população de apenas 36,6 milhões, considerada uma das menores do mundo. A maior cidade, Toronto, tem aproximadamente 2,6 milhões de habitantes. Imagine todo esse território com só 36 milhões de pessoas… Claro que a natureza predomina no país.

2. Qual é o idioma oficial?

O Canadá tem dois idiomas oficiais, o inglês e o francês. Falando da costa leste, pelas cidades que passamos, observamos que em Montreal a maioria das pessoas fala os dois idiomas, puxando um pouco mais para o francês.

Em Quebec a maioria das informações e as conversas começam em francês, mas também se fala inglês. E em Toronto o idioma predominante é o inglês.

3. Como é o clima?

O país é enorme, então a temperatura varia muito, mas podemos dizer que existem os dois extremos, super quente no verão e congelante no inverno 🙂

A costa leste, que é a parte que visitamos, é o que mais sofre com os extremos, e é onde a maioria da população canadense vive. No inverno as temperaturas podem chegar a -30ºC e com nevascas. Essas baixas temperaturas costumam ocorrer entre novembro e abril, começando a esfriar em outubro.

As médias estações, que não ficam tão quente nem tão frio, são entre metade de maio e de junho (quando as temperaturas ainda são em torno de 10ºC pela manhã e a noite, mas de dia chegam a quase 30ºC) e entre metade de outubro e de setembro (com temperaturas que variam entre 14ºC e 24ºC).

A partir de metade de junho esquenta pra valer. Nós pegamos agora em junho temperaturas em torno de 34ºC.

No verão, entre os meses de julho e agosto, as temperaturas podem chegar a 40ºC. E os dias são longos, com o por do sol lá pelas 21 horas. Estranho ver o sol se por tão tarde, mas é normal.

E na costa oeste, o clima é um pouco diferente. Pelo que pesquisamos o verão é mais seco, com temperaturas amenas, e o inverno é úmido e raramente neva.

4. Quais documentos preciso?

Para entrar no país você vai precisar de:

  • Passaporte que esteja dentro do prazo de validade. Verifique se tem pelo menos 6 meses de validade na data em que você vai embarcar, caso contrário é melhor tirar outro para não ter problemas. Confira, clicando aqui, o artigo onde explicamos o passo a passo de como tirar o passaporte.
  • Visto ou Autorização de viagem (eTA).
  • Carteira nacional de habilitação (CNH), caso for alugar carro no Canadá. Não precisa de carteira internacional se estiver a passeio. Nós alugamos com a carteira de motorista brasileira mesmo.

5. Visto ou eTA

Se você já tem visto americano ou tirou visto canadense nos últimos 10 anos, você não precisa de visto, mas precisa de uma Autorização Eletronica de Viagem (e-TA), que na prática é quase a mesma coisa, só que menos burocrático. Confira mais informações sobre o eTA nesse artigo aqui.

Se o eTA não se aplicar ao seu caso, você vai precisar solicitar o visto canadense. Confira mais informações sobre o visto no site oficial do governo no Canadá, clique aqui.

6. Preciso de seguro viagem?

Não é obrigatório, mas o custo com saúde no Canadá é elevado e não vale a pena arriscar. Então contrate um seguro aqui no Brasil que vai custar bem menos do que você vai pagar por despesas lá, se precisar.

Até hoje nós nunca precisamo acionar o seguro viagem, ainda bem, mas sempre contratamos em todas as viagens internacionais sendo obrigatório ou não.

Para o Canadá nós usamos a Travel Ace, você pode conferir os valores e coberturas clicando aqui.

7. E dinheiro, qual moeda devo levar?

A moeda oficial é o Dólar Canadense (CAD) e se você levar Dólar Americano, terá que trocar em casas de câmbio. Então é melhor comprar de uma vez o Dólar Canadense para não perder dinheiro com duas conversões: de Real para Dólar Americano e de Dólar Americano para Dólar Canandense.

Dica muito útil: As casas de câmbio não costumam ter Dólar Canadense a pronta entrega, então, não deixe para trocar no último dia antes da viagem. Nós encomendamos em um dia, fizemos depósito em reais para a casa de câmbio e retiramos os Dólares Canadenses no dia seguinte.

8. Vale a pena fazer compras? E precisa acrescentar taxas?

Algumas coisas valem a pena, mas ainda não é como nos Estados Unidos que dá pra voltar com a mala cheia. Visitamos alguns outlets que tinham preços muito bons, mas era uma peça ou outra e nem sempre tinha o nosso número. Achamos que os tênis estavam baratos e os sapatos sociais não gostamos muito dos modelos que vimos.

E tem que ter paciência pra ficar procurando os produtos. Cansativo mesmo, e não temos paciência pra isso, mas se você tem, vale a pena deixar um dia reservado para compras. Mais adiante vamos falar sobre compras em Montreal, Quebec e Toronto. Se inscreva aqui para não perder essas dicas 😉

Eletrônicos e equipamentos fotográficos valem a pena. Mas lembre que não dá pra parcelar o valor, tem que ser pagamento a vista em dinheiro ou no crédito em uma vez. Vamos escrever sobre isso mais adiante também, pra não perdermos o foco aqui, né 😀 .

Ah! E precisa sim acrescentar taxas sobre produtos. A todos os preços, lembre de somar mais 15% de taxas obrigatórias do governo. São 5% de GST (taxa federal) e 10% de PST (taxa da província). Essa porcentagem pode variar para menos em alguns estados, por exemplo em Ontário (onde fica Toronto) é cobrada uma única taxa, a HST de 13%.

Então lembre sempre de somar essas taxas a todos os produtos que você for consumir no Canadá.

9. Como ir do Brasil para o Canadá?

Como a distância é longa, a forma mais convencional é ir de avião. Nós fomos com a Copa Airlines, chegamos por Montreal e voltamos por Toronto, com conexão na Cidade do Panamá. Existem outras companhias, mas olha, a Copa nos agradou muito. Logo, logo vamos publicar um post explicando tudinho sobre esse voo.

Algumas pessoas, que tem mais tempo para viajar, começam a viagem em Nova York (EUA) e alugam carro ou motorhome para atravessar a fronteira em Niagara Falls e percorrem o lado leste do país.

Para saber quanto custa locar um carro, clique aqui.

10. É seguro viajar pelo país?

Super seguro. Fazia tempo que não nos sentimos tão seguros viajando. Mesmo em Toronto não nos sentimos inseguros/ameaçados nenhuma vez.

É claro que cuidados básicos não fazem mal a ninguém, porém, andamos o tempo todo com a câmera no pescoço e a GoPro na mão, de dia e de noite.

11. Qual é o fuso horário?

O Canadá é um país muito grande, e por conta disso tem 6 fusos horários. Então, se você vai rodar o país, melhor ficar esperto com o horário para não perder o trem, avião, etc.

No sentido de leste a oeste, os fusos são: Terra Nova (GTM -3h30),  região do Atlântico (GTM -4h00), região Oriental (GTM -5h00), região Central (GTM -6h00), região das Montanhas Rochosas (GTM -7h00) e região do Pacífico (GTM -8h00).

O que seria entre 30 min a 5 horas de diferença com o horário de Brasília (GTM -3h00). Eles também tem o horário de verão, assim como temos aqui, mas alguns estados mudam 1 ou 2 horas. Só pra facilitar a nossa vida de viajante, né 😛

Mas não se preocupe em decorar tudo isso. Confira essa informação somente das cidades que você vai visitar. Normalmente os celulares trocam automaticamente a hora de acordo com o fuso do lugar que você está.

Mesmo assim se ficar na dúvida de qual é a hora certa, pergunte a alguém ou confira no Google, digite por exemplo “hora certa em Toronto” ou o nome da cidade em que você está.

12. Qual é o tipo de tomada e voltagem? Preciso levar adaptador?

No Canadá as tomadas são de dois pinos achatados, igual dos EUA, como da foto abaixo. Lembre-se que tem botão liga-desliga, esses aí no meio das duas tomadas.

Adaptador de tomada viagem

A voltagem é de 110/120 volts. O nosso tipo de tomada só existe aqui no Brasil mesmo, então você vai precisar levar um adaptador, sim.

Nós usamos esse modelo, que é um adaptador universal. É ótimo e prático pra levar nas viagens. Você pode comprar online clicando aqui.

 

13. Onde ficar hospedado?

Hospedagem no Canadá, pelo menos na parte leste do país, não é das mais baratas. Especialmente se você for na alta temporada, entre junho e agosto.

Em Montreal acabamos ficando em Airbnb, pois os hotéis não tinham mais disponibilidade. Mas sabe que acabamos gostando da experiência. Foi muito legal alugar um apartamento só pra nós e com uma ótima localização.

E em Toronto foi a mesma situação. E foi muito legal, acabamos ficando amigos do casal dono do apartamento.

Para fazer reservas pelo Airbnb você precisa fazer um cadastro primeiro. Clique aqui e se cadastre. Você pode salvar as opções que mais gosta em uma wishlist, entrar em contato com os proprietários para tirar dúvidas e aí então reservar. Nossa experiência foi positiva.

Já em Quebec foi um pouco mais tranquilo, mas também não foi muito barato. Nós pesquisamos no Booking.com e encontramos um apartamento muito bem localizado e com um terraço com uma vista linda para o rio e para o Château Frontanac.

Pesquise com bastante antecedência para evitar gastos muito altos com hospedagem.

14. Como se locomover entre as cidades?

Nesta viagem nós usamos trem da ViaRail para ir de Montreal para Quebec e de Quebec para Toronto. Experiência muito legal que vamos compartilhar mais adiante.

Se você já quiser pesquisar os preços, horários e/ou mesmo comprar as passagens antecipadas (que é o recomendado) antes do nosso post ir ao ar, dá uma olhada no site oficial aqui do Brasil www.canadadetrem.com.

Para visitar a Ilê d’orleans e Niagara Falls nós alugamos carro. Nós não gostamos de fazer passeios em grupo, tipo excursão, então optamos por alugar o carro e explorar esses lugares com calma e foi uma experiência agradável.

Foi onde mais percebemos a tão famosa educação dos canadenses.

Para saber quanto custa ou reservar um carro, pesquise neste site de comparativos aqui.

15. Qual melhor época para viajar?

Na nossa opinião, falando sobre a costa leste, a meia estação (primavera e outono) é a melhor opção, pois os lugares não estão tão cheios, o tempo não está muito quente nem muito frio, as lojas estão em promoção e mais fácil de conseguir hospedagens.

Esse período é entre metade de maio e início de junho, pois ainda não começaram os grandes eventos e as cidades estão floridas. Ou então entre metade de setembro e outubro, quando as folhas das árvores ficam coloridas vermelhas, amarelas e laranjas.

Agora se você curte neve, a melhor época é entre novembro e março. Mas é muuuuuito frio, se prepare para -30ºC.

E se você curte um calorzão e tem disposição financeira, vá entre 15 de junho e final de agosto. As temperaturas chegam a 40ºC, as ruas ficam cheias de gente do mundo todo, tem vários festivais, ótimo pra pegar a estrada e o sorvete é uma delícia.

16. Preciso comprovar quanto estou levando de dinheiro?

É uma boa ideia levar um extrato do banco impresso, mas para nós não pediram nada. Apenas perguntaram quanto tínhamos em dinheiro e se tínhamos também um cartão de crédito. Falamos o valor e dissemos que a hospedagem já estava toda paga. O agente da imigração pareceu ter feito uma conta rápida de cabeça para saber quanto tínhamos para gastar por dia e só.

Se não quiser levar o extrato impresso, vale mostrar a conta no app do banco.

17. Preciso dar gorjeta? Como calcular o valor?

Em restaurantes mais chiques, recomenda-se entre 10% e 15%, mas nós demos sempre 10%, algumas vezes arredondando para mais, e ninguém fez cara feia rsrs.

Ah, sabe as taxas? Elas não estão no preço do menu, então a conta fica mais ou menos assim: preço do menu + taxa (15%) + gorjeta.

E essas gorjetas geralmente você deve dar para os serviços que vocês consumir, como restaurantes, cafés, táxis, bares, etc.

Se você for pagar com cartão de crédito, some também o IOF (6,38%) de tudo isso. Então fique atento: a conta do restaurante pode custar muito mais do que você imagina.

E essas foram algumas das dicas que vão te ajudar na hora de planejar sua viagem para o Canadá.

Tem muito mais vindo por aí, se inscreva aqui e receba notificações por e-mail quando publicarmos as novas dicas sobre o Canadá.

Gostou? Foram úteis estas informações? Deixe seu comentário, compartilhe com aquele seu (sua) amigo(a) que ama viajar ou que está planejando uma viagem para o Canadá <3

Salve estas dicas na sua pasta sobre o Canadá no Pinterest. É só clicar na imagem abaixo e quando você precisar destas informações vai ficar mais fácil de achar. 🙂

 


Agradecimentos aos nossos parceiros dessa viagem:

                                                                                               

                                                         

Confira aqui todos os artigos sobre o Canadá 🙂

Como solicitar a Autorização Eletrônica de Viagem – eTA para o Canadá

[do_widget id=text-25] [do_widget id=text-24]

Desde o dia 1º de maio deste ano, ficou mais fácil e barato obter a autorização para entrar no Canadá. Quem teve o visto canadense emitido nos últimos 10 anos ou tem o visto americano de não-imigrante válido, pode solicitar uma Autorização Eletrônica de Viagem – eTA.

Para nossa viagem ao Canadá solicitamos a eTA. Fazia poucos dias que essa nova medida tinha sido aprovada e ficamos com receio de que pudesse dar algum problema, mas foi super tranquilo. Recebemos a aprovação no mesmo dia, por e-mail, e custou 7 dólares canadenses.

Abaixo você pode conferir o passo a passo que fizemos para solicitar.

eTA

Passo a passo para solicitar o eTA

Entre no site oficial do governo do Canadá em www.cic.gc.ca

E siga o passo a passo clicando nas setas.

1º Passo – Descubra se você precisa de visto para o Canadá

Neste primeiro passo você vai responder algumas perguntas para saber qual tipo de viajante você é. Conforme suas respostas o site indicará qual tipo de autorização você precisa, se é solicitar um tipo de visto, se pode solicitar apenas o eTA ou se precisa apenas do seu passaporte. Seja sincero(a) nas respostas para evitar problemas.

Nesta primeira pergunta você precisa indicar se você é cidadão canadense com dupla cidadania, residente permanente, refugiado, apátrida ou outro.

eTA

Descubra quanto custa viajar para Nova York

Olá, tudo bem?

Pensando em viajar pros EUA nas férias e não tem ideia de quanto vai ter que desembolsar? Então vem que te conto quanto custa viajar para Nova York.

Eu fiz uma lista com todas as despesas que eu tive enquanto estive lá (2 semanas, estudando), mas vou considerar aqui que você vai ficar 4 dias inteiros na cidade e que está começando do zero o seu planejamento, ou seja, desde comprar as malas e fazer o passaporte. Se você já tem alguns desses itens, é só desconsiderar.

Ah, e esses valores são para apenas uma pessoa, então em cada item vou deixar um link onde você pode conferir as datas em que você pretende viajar e informando o número de pessoas, você consegue calcular os valores mais aproximados para a sua viagem. Vamos lá?

Quanto custa o passaporte

Se você ainda não tem passaporte vai precisar tirar um. E se você já tem, confira se a data de validade está em dia. Lembre que para brasileiros o passaporte deve estar válido durante o período de estadia nos Estados Unidos (confira mais informações no site da embaixada dos EUA).

O custo da emissão do passaporte é de R$ 257,25 e leva aproximadamente 6 dias úteis para ficar pronto. Isso depende de onde você mora e se estiver tudo certo com o sistema de emissão da PF, então não deixe para última hora.

Preparamos um artigo com o passo a passo do pedido de passaporte que você pode conferir aqui.

Quanto custa o visto dos Estados Unidos

Para entrar nos Estados Unidos com passaporte brasileiro você vai precisar tirar o visto. Você pode conferir os tipos de visto e taxas no site oficial da embaixada clicando aqui.

Eu paguei $160 dólares (aprox. R$ 500,00) para o visto do tipo B1 e B2. Demorou 10 dias para eu receber o passaporte com o visto em casa. Foi rápido, pois o consulado informa que o processo todo leva pelo menos 12 dias. Então é bom você se antecipar, pois pode ser que demore um pouco mais.

Neste outro artigo aqui contamos o passo a passo de como tirar o visto.

Quanto custa a passagem aérea para Nova York

Eu não recomento comprar a passagem aérea antes de ter o visto em mãos, até porque o consulado não exige esse documento.

Comprei minha passagem para o mês de julho, logo depois que peguei o visto, e paguei barato (R$ 1.200) em uma promoção da Aeroméxico. Confira o artigo que escrevi sobre minha experiência com essa cia aérea aqui.

Para esse ano a média dos preços de passagem aérea para Nova York saindo de São Paulo está em U$ 700 (aprox.  R$ 2.200). Mas se você ficar de olho nas passagens com bastante frequência, consegue encontrar por menos. Você pode pesquisar nesses sites: ViajanetMomondo ou Voopter, ou ficar de olho nas promoções do Melhores Destinos.

Quanto custa a hospedagem em Nova York

Como eu fui para fazer um curso e fiquei lá duas semanas, acabei alugando um apartamento de estudante que é bem mais barato.

O valor das diárias em hotéis é a partir de U$50 (aprox. R$ 160,00), mas você talvez consiga algo mais econômico se ficar de olho nas promoções. As tarifas dependem também das datas que você escolhe.

Para saber o valor aproximado que vai custar a sua hospedagem você pode consultar e até reservar pelos mesmos sites que nós, que são: Booking.com, Hoteis.com ou Trivago.

Quanto custa o seguro viagem (assistência médica internacional)

Os Estados Unidos não exigem que você tenha seguro viagem para entrar no país, mas recomendo fortemente que você faça, pois lá não tem atendimento gratuito nos hospitais e se você precisar terá que desembolsar um valor bem alto. Então vale muito mais a pena pagar um seguro viagem.

No meu seguro para 2 semanas eu paguei R$ 130,00. Tem planos com valor menor ou maior, depende da cobertura que você escolher. E além da cobertura médica, o seguro cobre despesas com dentista, perda de bagagem, oferece assistência jurídica, atendimento 24h em português, orientação em caso de extravio de documentos, repatriação sanitária e outros.

Como estamos calculando para estadia de uns 4 dias na cidade, o custo seria entorno de R$ 58,00. Existem várias empresas que prestam esse serviço, nós usamos a Real Seguro Viagem, pois é fácil para pesquisar os preços dos vários planos e coberturas e sempre tem um descontinho quando pagamos no boleto.

Eu sempre recomendo prevenir. Melhor se não precisar usar, mas se precisar, a dor de cabeça vai ser menor.

Malas ou mochila

Se você já tem a sua, melhor, assim não precisa gastar com mais esse item. Mas se você precisa comprar uma, sugiro não investir muito dinheiro comprando malas caras. Até porque, a cia aérea não vai cuidar bem delas e você vai passar raiva por isso, vai por mim.

E se você vai fazer compras em Nova York, vá com uma mala/mochila e deixe pra comprar a outra lá. Foi o que eu fiz e é o que a maioria dos brasileiros faz. Se você for na área de malas/mochilas de uma loja, vai encontrar vários brasileiros 😛 . Até porque lá são mais baratas que aqui.

Hoje são permitidas 2 bagagens de até 32kg e mais uma bagagem de mão de até 7kg para cada passageiro. Isso para brasileiros.

Uma mala grande de modelo simples saí em torno de R$ 100,00 e chega a até mais de R$ 1.000,00 se for de grife. E mochilas pequenas você vai encontrar a partir de uns R$ 40,00 até mochilas cargueiras que chegam a custar R$ 1.1oo,00 ou mais.

Uma dica importante sobre a mala de rodinha é comprar com 4 rodinhas que giram 360º, pois facilita muito a vida na hora de andar com elas por aí.

E as mochilas cargueiras, mesmo se estiver mais barato on-line, é melhor provar em uma loja antes de comprar pelo site, pra ver se a mochila se adapta ao seu corpo. O ideal é que tenha regulagens nas alças e fundamental ter barrigueira para dar sustentação no peso que você terá que carregar.

Você pode pesquisar os preços de malas e mochilas nestas lojas: Centauro, Submarino, Wallmart.

Quanto custam os transportes em Nova York

Lembre de calcular também o quanto você vai gastar para ir e voltar do aeroporto. Tanto da sua casa, ida e volta, quanto quando chegar em Nova York para ir do aeroporto para o hotel e a volta.

Da zona sul de São Paulo para o aeroporto de Guarulhos um táxi custa em torno de R$ 120,00 ou pra mais, dependendo do trânsito e horário. Eu sempre dou uma conferida no site Tarifa de Taxi, que mostra o valor aproximado. Aqui já vai uns R$ 240,00, ida e volta. Com o Uber daria em torno de R$ 180,00. E para deixar o seu carro no estacionamento do aeroporto, por uns 5 dias, custaria em torno de R$ 170,00. Confira a tabela de preços aqui.

Em Nova York tem a opção de trem e metrô que você vai gastar uns U$ 16,00 dólares ida e volta, mas já aviso que com mala é uma opção muito ruim. De táxi sai uns U$ 110,00 dólares a ida e volta. Tem outras opções que você pode conferir em um post completo no blog Aprendiz de Viajante.

E você também precisa calcular o quanto você vai gastar para andar pela cidade de Nova York, se você vai andar de metrô ou táxi. Eu aconselho o metrô que é bem mais prático.

Eu comprei o MetroCard por U$ 1,00, que é um cartão que você usa tanto no metrô quanto no ônibus, e carreguei U$ 15,50 (aprox. R$ 50,00) para 7 dias com uso ilimitado. Valeu a pena.

Quanto custam os ingressos para shows e passeios em Nova York

Nova York é uma cidade que não pára mesmo, tem muito coisa legal pra fazer, e isso é sinônimo de muita fila nos shows e atrativos da cidade. Se você não curte ficar na fila e/ou prefere garantir que vai conseguir ver o seu show preferido, sugiro comprar os ingressos com antecedência.

Até preparamos um artigo com sugestão de roteiro em Nova York que você pode acessar aqui. Eu usei o New York City Pass que custa U$ 122,00 dólares (aprox. R$ 390,00) e inclui a visita em seis das principais atrações da cidade.

Um show da Broadway custa a partir de U$ 90,00 (aprox. R$ 288,00). Espetáculos mais procurados como O Fantasma da Ópera e Wicked, custam em torno de U$ 130,00 (aprox. R$ 416,00).

Eu assisti Kinky Boots, Les Miserables e Mama Mia. Todos muito bons e se pudesse assistiria mais vários outros.

O Fantasma da Ópera assistimos em Londres e foi fascinante. O Wicked assistimos aqui no Brasil, igualmente maravilhoso.

Recomendo que você assista pelo menos um espetáculo da Broadway.

Quanto custa a comida em Nova York

Esse é outro custo complicado, pois depende muito do que você come, se você faz todas as refeições corretamente, se frequenta restaurantes mais populares ou requintados, mas vou me basear na minha experiência e média do que eu gastei lá.

Como eu não tinha muito tempo livre, acabei comendo em lugares onde o preparo da refeição era mais rápido ou comprava no mercado a janta ou café da manhã, já que tínhamos uma cozinha na residência. Essa é uma das vantagens de alugar um apartamento e a desvantagem é ter que limpar. 😀

Pret A Manager – Midtown

Eu gastei bem pouco com refeição, em torno de U$ 40,00 (aprox. R$ 130,00) por dia para 5 refeições (café, lanche, almoço, lanche e jantar). Alguns dias foram um pouquinho a mais e outros menos, mas esse valor é uma média.

Eu até escrevi sobre alguns dos lugares onde fiz minhas refeições por lá, confira as dicas aqui.

Mais alguma coisa?

Ah, claro… lembre de levar uma reserva extra de dinheiro para as compras pequenas e imprevistos durante a viagem. E aí você me pergunta, mas quanto Julia? E eu vou ser obrigada a responder: depende…

No meu caso, eu levei U$500,00 (aprox. R$ 1.600,00). Esse dinheiro era para despesas pequenas, remédios, problema com cartão de crédito ou alguma outra emergência.

Por isso é importante você se planejar, fazer uma lista do que pretende comprar e pesquisar os valores antes,  assim você terá uma ideia mais clara de quanto você vai precisar levar. E se sobrar alguma coisa desse valor, fica pra próxima viagem 😉

Ah, aqui tem algumas sugestões de onde fazer comprinhas em Nova York.

E então, quanto custa viajar para Nova York?

Resumidamente você vai investir para uma viagem com estadia de 4 dias em Nova York, para uma pessoa:

Passaporte: R$ 257,25
Seguro viagem: R$ 58,00
Mala: R$ 150,00
Transporte no Brasil: R$ 180,00
Visto: U$160
Passagem aérea: U$700
Hospedagem: U$200
Transporte em Nova York: U$126,50
Passeios: U$ 122
Show da Broadway: U$ 130
Refeições: U$160

Ou seja, em torno de R$ 650,00 e U$1.600, mais o dinheiro extra que você vai levar para emergências e compras. Lembrando que esse valor é uma média, pois em período de alta temporada e férias escolares, pode ficar mais caro ou em outros meses pode ser bem mais barato. E torcemos pelas promoções de passagem aérea e a baixa da cotação do dólar, né.

Então é isso pessoal, sentiram falta de algum outro item? Sim. Então escreve aqui nos comentários e compartilhe a sua dica também 😉

Até mais!
Bjs, Ju

Como é voar para os Estados Unidos na classe econômica da Aeroméxico

Oi, tudo bem?

Hoje vou contar sobre a minha experiência de voar na classe econômica da Aeroméxico. O trecho foi São Paulo (aeroporto de Guarulhos) para Nova York (aeroporto JFK), com conexão na Cidade do México, no México, e o retorno.

O horário do meu voo era com partida as 22h55 de Guarulhos e chegada prevista em Nova York para as 09h06, um total de 15h30 de viagem. Já a volta o horário previsto de saída de Nova York era às 17h com chegada prevista no Brasil às 23h30. Sendo 15h de voo.

A escolha da Aeroméxico

Escolhi a Aeroméxico por causa do preço mesmo, a passagem estava em promoção por R$ 1.200,00 com as taxas. A emissão foi no impulso, pois estava pesquisando já fazia alguns dias e o preço estava em torno de R$ 1.700,00. Quando apareceu essa oportunidade emitimos imediatamente, vai que aumenta depois, né.

Só depois fui pesquisar sobre, pois nunca tinha voado com essa companhia. Ao ler os relatos comecei a ficar preocupada. As pessoas falavam sobre aeronaves velhas, barulhentas, assentos ruins, comida ruim, atendimento péssimo, acidentes aéreos… de tudo. Quase cancelei a passagem, sério mesmo.

Mas também li alguns relatos falando bem. Então resolvi arriscar e testar. Mas já tinha avisado o Douglas que se a aeronave fosse muito velha, eu nem embarcaria rsrsrs 😀 morrendo de medo.

Embarque em Guarulhos

O embarque em Guarulhos foi super tranquilo e o atendimento foi bom. Os atendentes da cia aérea conferiram meu passaporte, seguro viagem, reserva do hotel e vacina da febre amarela. Não sei se é um procedimento comum, ou foi porque a fila não estava longa.

O limite de bagagem despachada é de 2 bagagens de 32kg cada + 1 bagaggem de mão de 7kg, por pessoa.

Perguntei do processo no México e o atendente me explicou que precisava retirar a bagagem e passar novamente no raio-x para depois seguir viagem para Nova York.

O embarque atrasou poucos minutos. Tinha vários grupos de adolescentes indo para o México. Imagina a alegria desse povo 😀

A aeronave da Aeroméxico

Para minha alegria a aeronave não era velha. As poltronas eram, dentro do padrão de uma classe econômica, muito bons. Para quem tem mais de 1,80 m de altura melhor sentar em poltronas da saída de emergência mesmo, pois tem mais espaço para as pernas.

E tem apoio para os pés 😀 quem é baixinha sabe a importância de ter esse apoio. A configuração dos assentos é de 3-4-3, ou seja cada fileira tem 3 assentos do lado direito, corredor, 4 assentos no meio, corredor e mais 3 assentos do lado esquerdo.

Todas as poltronas tem tela de TV, são simples mas tem entretenimento a bordo, com opções de filmes, música, seriados e jogos. Isso ajuda bastante a passar o tempo dentro do avião, já que o voo é longo. A maioria dos filmes e seriados tinha a opção de áudio em português.

O ar-condicionado funcionava bem, tanto que a Aeroméxico entregou um kit com travesseiro e cobertor. Mesmo assim é sempre bom levar uma blusa a bordo e ir de calça ou saia/vestido longo, pois faz frio. Pelo menos eu sou friorenta, uso duas meias no avião 😛

E se você gosta de ler durante o voo,  tem a luz sobre o assento que você pode usar quando as luzes internas da aeronave são apagadas.

Mas lembre de posicionar a mira da luz no seu livro, pra não atrapalhar quem está tentando dormir #ficadica.

Como o meu voo era de madrugada, aproveitei para dormir até o México. Claro que acordando para as refeições rsrsrs

Refeições na Aeroméxico

Falando em refeições, essa é uma das partes do voo que eu menos gosto. Sei lá, a comida dificilmente é gostosa. São raras as cias aéreas internacionais que preparam uma boa refeição.

Jantar

Adivinha quais eram as opções de cardápio pro jantar. Acertou se você disse “chicken or pasta” (frango ou massa) rsrsrs. Quando ouvi o comissário falando isso algumas poltronas a frente da minha, fui obrigada a rir. Sério isso seeeenhooorr. Achava que já era coisa do passado.

Fui de massa mesmo e para acompanhar tinha salada, pão, manteiga e sobremesa de cookies industrializados.  Para beber tinha suco, refrigerante e/ou água. Não lembro se tinha bebida alcoólica, mas deveria ter, geralmente tem cerveja ou algum vinho.

Café da manhã

Para o café da manhã tinha ovos mexidos com presunto, queijo e tomate, pão e salada de frutas. Para beber tinha café e leite.

Apesar de serem simples e pouca variedade, as duas refeições estavam boas. Se você for vegetariano ou tiver alguma restrição alimentar, deve informar isso na hora da compra da passagem aérea, assim é preparada uma refeição especial para você. Mas precisa avisar com antecedência para dar tempo de a cia aérea solicitar para a empresa que prepara as refeições.

Conexão no México

Quando cheguei na Cidade do México tive que desembarcar do avião para fazer conexão, pois tinha que pegar outro avião para Nova York. Então precisei passar pela imigração, mesmo não desembarcando no país.

Eles olharam o passaporte, perguntaram para onde estava indo, mostrei o cartão de embarque para Nova York e a vacina de febre amarela. Foi rápido até.

O demorado foi esperar a mala. Sim tinha que pegar a mala na esteira, só que demora uns 30 minutos ou mais, super demorado.

Depois você passa por uma nova inspeção. Você aperta um botão na frente de um fiscal. Se der luz verde você segue para o raio-x e está liberado. E se der vermelho você tem que passar pelo raio-x e abrir a mala para ser vistoriada.

E adivinha…deu vermelho pra mim rsrsrs. Lá vai eu abrir a mala, a mulher bagunça tudo e pra fechar depois? Tava tudo tão arrumadinho. Que raiva. Despachei a mala em outra esteira e fui para a sala de embarque, sem antes passar por outro raio-x.

Super cansativa essa conexão, já estava ficando irritada com a demora pra tudo. Mas enfim, embarquei na hora para Nova York e o voo foi tranquilo.

Desembarque em Nova York

A chegada na cidade foi super tranquila. As refeições foram semelhantes do trecho Brasil/México. A Aeronave era um pouco mais nova. Só que o aeroporto de Nova York é confuso, falta informação, demorado, quente. Nossa um horror aquilo. Mas os funcionários todos muito gentis.

Esperava tudo ao contrário. Mas enfim estava em Nova York, bagagem chegou certinho sem estragos.

Voo de volta pra São Paulo

A volta já não foi das melhores experiências, voo diurno para o Brasil não é das melhores opções. A aeronave de Nova York para a Cidade do México era menor, mas era boa também.

Um mexicano queria que eu trocasse de poltrona com ele porque a TV dele não tava funcionando rsrsrs É claro que eu disse que não pro engraçadinho e ele ficou #chatiado. Tenha dó, né. rsrsrs

Já na cidade do México o processo foi o mesmo da ida, passar pela imigração, pegar a mala e passar pelo raio-x. Dessa vez acendeu a luz verde e não precisei abrir a mala.

Na sala de embarque, esperando o voo da Cidade do México para São Paulo, a Aeroméxico avisa que o voo estava atrasado em mais de 2 horas. Nossa, foi um chá de cadeira, mas achei o pessoal até que organizado para dar as informações e organizar as pessoas.

Demoraram para entregar algum lanche/jantar para nós, mas entregaram sanduíches, frutas, bebidas e chocolate.

A aeronave do México para o Brasil era muito parecida com a da ida e as refeições foram as mesmas.

Conseguiram estragar minha mala novinha e não queriam abrir o pedido de reclamação. Tive que brigar com a mulher, pois ela dizia que não era nada, só um corte na mala, que mala é pra isso mesmo.

Oi? A mala é minha e a cia aérea tem a obrigação de cuidar dela, de me devolver no mesmo estado que entreguei.

Enfim, mesma companhia com uma experiência boa na ida e ruim na volta.

É isso pessoal. Qualquer dúvida deixa aqui nos comentários que eu respondo 😉 Ah! Segue a gente no Facebook e no Instagram, atualizamos todos os dias S2

Leia essas dicas também:

Nossa mochila de passeio – itens que sempre levamos

[do_widget id=text-25] [do_widget id=text-24]

Seja em uma viagem ou em um passeio aqui na cidade mesmo, nós sempre levamos uma mochila com algumas coisas. Sabe como é né, um casal blogueiro, dois amantes de fotografia e um deles é gordinho e atrapalhado… a mochila precisa ter suprimentos para todas as ocasiões e emergências.

Algumas vezes levamos mais coisas, dependendo do lugar e estação do ano, mas alguns itens sempre vão conosco. Então, quer saber o que a gente sempre carrega na mochila quando viaja ou sai a passeio? Vamos lá.

Como é voar com o avião ATR da Azul

Mais uma viagem a trabalho (e aproveito para agradecer por não passar 8 horas por dia, 5 dias por semana dentro do mesmo escritório) e peguei o voo AD2796 da Azul, de Salvador a João Pessoa. Escolhi a Azul porque para mim é a melhor cia aérea nacional.

Qual a melhor companhia aérea brasileira? Tam, Azul, Gol ou Avianca?

Em Agosto fiz um pequeno tour pelo Brasil, saindo de São Paulo, passando por Porto Alegre, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e retornando para São Paulo. Foi uma viagem a trabalho, então fiquei apenas um dia ou menos de 24 horas em cada cidade, mas tive a oportunidade de experimentar o serviço das quatro principais companhias aéreas brasileiras. Como foram todas em sequência, pude comparar como é voar com a Tam, com a Gol, com a Azul e com a Avianca.

Certificado internacional de vacinação contra a Febre Amarela

Na vida de todo turistas, tem algumas coisas que não precisam ser deixadas para depois. Tomar a vacina contra a Febre Amarela e ter o Certificado Internacional de Vacinação contra a Febre Amarela são 2 exemplos, assim como sempre ter um passaporte válido.

A vacina serve para você não pegar a Febre Amarela em outro país, mas também para você não levar a doença para lá, caso já esteja com ela.

Passo a passo do pedido de passaporte

Estou tirando um passaporte novo e aproveitei para escrever esse post sobre como tirar o passaporte comum.

Não vou entrar em muitos detalhes, pois seria mais fácil apenas fazer Ctrl C + Ctrl V do site da Polícia Federal.

Vou relatar o passo a passo para o meu caso: morador de São Paulo, brasileiro, maior de idade, com todas as obrigações (eleitoral e militar) em dia, cujo passaporte anterior ainda tem validade e não foi roubado/furtado/extraviado.

Quantos dias de viagem com 100 dólares?

Escrevemos na semana passada um post chamado Quanto tempo consigo viajar com X dólares?, que na verdade não pretendia responder a pergunta, mas sim mostrar que não há uma resposta pronta para isso.

A extensão da viagem depende da forma como cada um viaja. Depende (1) da escolha do destino, (2) se o viajante é mochileiro roots ou flashpacker, (3) se a viagem é Amazing Race’ ou ‘Slow Travel’, (4) se quer conhecer o destino de dia ou a noite e (5) quão independente é a viagem.

Mochilão ou mala de rodinha?

O nosso post anterior foi sobre dicas para aumentar a segurança da mala. Quando divulgamos o post nas redes sociais, terminamos dizendo “nosso blog é de mochilão, mas nós também usamos mala de rodinha!”

8 dicas para aumentar a segurança das malas

Já vimos em outro post que é muito comum a bagagem se extraviar quando viajamos de avião, isso acontece aos milhões todos os anos.

A partir do check-in a responsabilidade sobre as bagagens é toda da companhia aérea, até o momento da retirada na esteira do aeroporto de destino. Do balcão em diante não há nada que possamos fazer para não entrar nas estatísticas de extravio de bagagem. Só resta torcer…

Bagagem extraviada, ainda vai acontecer com você

Um cara espera a hora certa, quando não há comissárias por perto. Sai de sua poltrona e anda em direção à cabine do piloto um tanto nervoso. Ele tem um plano simples, mas que pode ser estragado se acontecer um erro, principalmente na conexão do voo.

A porta da cabine está destrancada. Ele pára e pensa por um minuto se deve fazer isso mesmo. Decide que sim, afinal os próximos 10 dias dependem disso.

35 coisas simples que melhoram as viagens

Viajar já é uma das melhores coisas da vida. Você sai da rotina, está de folga, conhece lugares novos, prova comidas diferentes, não precisa cozinhar e lavar a louça nem arrumar a cama, tem dezenas de opções de comidas e bebidas no café da manhã, descansa o tempo que quiser ou pratica atividades inesquecíveis.

Mas até mesmo uma coisa tão boa pode ficar bem melhor. Ah, pode…

As experiências espontâneas de viagem estão morrendo?

Fazer check-in no Foursquare, publicar foto no Instagram, Twittar que o dia está bonito na praia… Viajar, pesquisar e compartilhar em tempo real é uma realidade faz alguns anos. As viagens são hiperconectadas.

Mas não era em 2007, quando nós fizemos o Mochilão na Ásia. Naquele ano, o nosso meio de comunicação (e da quase totalidade dos viajantes) era o email. O blog também, servia para as pessoas saberem onde estávamos.

5 dicas de segurança para a mochila em um mochilão

Durante a viagem, sua mochila é sua casa. Se ela se rasgar, a segurança está comprometida. Se a alça se romper, você não terá como carregar confortavelmente. Se você não cuidar, pode ser furtado ou roubado. Em qualquer situação terá uma dor de cabeça desnecessária com certeza.

Choque cultural – parte 1

Você chega ao destino turístico ainda com a imagem daquele vídeo promocional impecavelmente editado, com cores chamativas, cenas em câmera lenta e sons cativantes. Mas basta colocar os pés na realidade para perceber que os cursos de publicidade e de edição de vídeo formam excelentes profissionais. ‘Tudo bem’, você pensa, ‘no fundo já imaginava isso’.

Dicas para viajar leve

 

A maioria dos viajantes até tenta, mas viajar leve é difícil até para viajantes experientes, pois é preciso lutar bravamente contra a vontade de levar aquele item que você pensa que vai ser usado em algum dia da viagem, mas que não vai.

Seja você um dos que tentam e não conseguem viajar leve ou, seja você um dos que ainda não tentam reduzir o peso, aí vão algumas dicas que podem ser úteis.

21 dicas para negociar melhor na viagem

Negociar as compras de souvenir durante a viagem é um pré-requisito em diversos países do mundo, ainda mais quando se trata de preços ‘naturalmente’ inflacionados para turistas. Sim, quanto mais turístico o lugar, maior a chance de ser inflacionado.

Para nós brasileiros talvez pareça desnecessário e até mesmo desconfortável às vezes, mas negociar por produtos ‘sem código de barras’ faz parte de algumas culturas.

Viagem responsável

O turismo nos dias de hoje não é apenas exclusividade de uma pequena parcela da população. A atividade tem se tornado cada vez mais acessível e por isso é uma das indústrias com maior crescimento no mundo.

Tripline e o trajeto do ‘Mochilão na Ásia’

Tripline é um site bem bacana onde você marca os pontos por onde passou na viagem para criar um trajeto animado.

Bom também para quem está na fase de planejamento, pois ficam mais visíveis as distâncias a serem percorridas.

Em cada cidade do trajeto é possível inserir a data, comentários e fotografias.