Gastos da viagem

Gastos da viagem: essa era uma das maiores dúvidas que tivemos quando estávamos planejando a viagem.

Sabíamos que viajar pela Ásia era barato. Mas quanto?!?!

Lemos muitas histórias de viajantes extremamente econômicos. Também conseguiríamos?!?!

Pesquisamos bastante na internet, lemos guias de viagem e perguntamos também para outros viajantes independentes. Essas conversas foram muito importantes para ganhar confiança para encarar uma grande viagem pelo exterior.

Fizemos muitos amigos, que nos ajudaram a ter uma ideia do quanto gastaríamos na viagem. Aos poucos as nuvens de incertezas foram se dissipando e conseguimos traçar o orçamento. Mas tudo ainda era teoria para nós.

O mapa do mochilão foi 'espetado' muuuitas vezes em muuuitos lugares diferentes, até fecharmos o roteiro
O mapa do mochilão foi ‘espetado’ muuuitas vezes em muuuitos lugares diferentes, até fecharmos o roteiro

Conseguiríamos mesmo viajar gastando pouco??? Vontade não faltava, mas às vezes o orçamento previsto não condiz com a realidade e com as necessidades humanas que surgem ao passar do tempo na estrada.

Economizar por uma semana é possível. Dormir em hotéis simples (às vezes sujos e mal-cheirosos) é possível. Mas por quanto tempo?!?! Uma semana, duas, três.

Aguentaríamos por 132 dias?

Por causa disso, depois de feito o orçamento, acrescentamos alguns dólares por dia. Quando pensamos nos custos, devemos lembrar que, viajando ou não, temos o custo básico de alimentação. Portanto, para não desanimarmos ao calcular os custos de alimentação, devemos subtrair o custo que temos no nosso dia-a-dia quando não estamos viajando.

Feito isso, descobriremos que os gastos no sudeste asiático são quase iguais aos gastos em casa. Então…

Pesquisar o preço dos hotéis e alimentação é relativamente mais fácil do que pesquisar o preço dos transportes. Como saber quanto gastaremos com o transporte dentro das cidades para os passeios? É complicado.

Onde foi possível, andamos a pé! Onde foi possível, pegamos ônibus urbano. Onde foi possível, alugamos bicicleta. Incluímos o transporte no orçamento, mas foi um valor “chutado”.

Para economizar, usamos táxi só quando foi extremamente necessário.

Foi uma boa opção, pois se tivéssemos usado muito táxi, aconteceriam muito menos coisas interessantes no nosso dia-a-dia.

Para a nossa alegria a teoria se mostrou real! Realmente é barato viajar pelo sudeste asiático e pela Índia. Em Dubai, nem tanto, mas também é possível…

Nossos gastos ficaram dentro do orçamento, com exceção do imprevisto na chegada à Dubai.

Durante a viagem muitas pessoas entraram em contato conosco e sabem qual foi a principal dúvida? Os custos…

É por isso que iremos escrever um pouco sobre esse assunto aqui no blog.


Para planejar um mochilão na Ásia

Opções de hotéis para escolher e reservar agora pelo Booking. Confira aqui.
Opções de seguro de viagem, com comparativo de preços. Confira e contrate aqui.

Agradecimentos

 

O sonho é desde a infância e acreditamos que todos um dia já sonharam: Viajar o mundo.

Nós já sonhávamos antes mesmo de nos conhecermos.

Os anos passaram, crescemos, nos conhecemos e nossos sonhos se uniram. Decidimos passar do sonho para a realização.

Dia 82 – 01/10: Do quarto para o restaurante, do restaurante para o quarto

Acordamos cedo e ficamos de bobeira no quarto descansando. Resolvemos trocar a cidade de Hue por um dia de descanso em Hoi An para chegar com todo pique em Hanoi.

Lavamos algumas roupas e quando vimos os cabides tinham sumido. Achamos que a camareira tinha tirado os cabides pra gente ter que usar a lavanderia do hotel. Sacanagem… Penduramos onde deu…

Promoção: Onde a foto foi tirada?

Olá pessoal! Nova promoção do blog!!

Onde a foto foi tirada?

O primeiro que acertar o nome de TODOS os lugares, com a respectiva cidade e país, ganhará um cartão postal.

Dia 74 – 22/9: Provando o Ta Pi Lu, em Dalat

Tentamos acordar cedo, mas não conseguimos. A cidade de Dalat tem um clima chuvoso nessa época do ano e o hotel é bem aconchegante. O resultado?!?! Dá uma preguiiiiiiiiiça…

Alugamos bicicletas e saímos para dar uma volta. Paramos primeiro no mercado público para tentar, de novo, fotografar as pessoas, mas não ganhamos permissão de ninguém.

Me leva de leve - Viagem Vietnã 74 (4)

Aqui no Vietnã acontece ao contrário dos outros países que passamos. As pessoas aqui não gostam de ser fotografadas, mas não se importam em ser filmadas.

A exótica feira de rua de Dalat

Na rua de trás do mercado público tem uma feirinha de animais vivos. Estão a venda galinhas, peixes de vários tipos, caranguejos, ostras, cobras, sapos e bichos da seda.

Tá pronto para a feira? As larvas e os sapos (e não é rã) estão em promoção. Dalat, Vietnã

Uma foto publicada por Blog Me Leva de Leve (@melevadeleve) em

Os animais ficam em bacias de metal, no chão, e as vendedoras ficam sentadas em um banquinho atrás das bacias, sorrindo oferecendo os produtos em voz alta.

Me leva de leve - Viagem Vietnã 74 (3)

Depois pedalamos até o lago Xuan Huong. Ficamos descansando um pouco enquanto observávamos o vai-e-vem dos vietnamitas. Na beira do lago haviam algumas pessoas pescando com varas e também com galhos de árvores.

Me leva de leve - Viagem Vietnã 74 (5)

Pela primeira vez na cidade uma vendedora ambulante veio nos oferecer seus produtos. Estávamos até sentindo falta. Mas ela não era como os vendedores das cidades turísticas, ela não foi insistente, ofereceu só uma vez e foi embora.

A Casa Maluca

Pedalamos até o Hang Nga Crazy House, um guest house construído no estilo de desenho animado. Cada quarto tem uma decoração muito doida e são interligados por caminhos suspensos que lembram túneis.

Me leva de leve - Viagem Vietnã 74 (6)

Na saída, a arquiteta passou por nós e nem cumprimentou os visitantes da casa. Ficamos decepcionados, pois além disso, a casa nem está terminada ainda, já foi aberta para visitação e teve o preço aumentado de 7.000 para 8.000 e depois para 10.000 Dongs…

Na saída pegamos uma forte chuva, voltamos ao hotel, trocamos de roupa e fomos almoçar.

Comemos o tradicional Ta Pi Lu no restaurante Da Quy. Vimos no menu esse prato e pedimos sem ter ideia do que era. Quando o prato chegou, tomamos um susto. Uma grande panela e um fogareiro foram colocados em nossa mesa.

Me leva de leve - Viagem Vietnã 74 (7)

Os ingredientes são peixe, camarão, lula, polvo, bife, carne de porco e muitas verduras. Nós mesmos temos que cozinhar a comida, mas ficamos perdidos sem saber o que fazer.

O garçom percebeu e veio nos ajudar. Ele foi explicando e cozinhou a primeira rodada para nós.

No caldo quente, ele colocou um ovo e foi acrescentando as carnes e as verduras. Depois de um tempo, mergulhou a massa chinesa e serviu no nosso prato. DE-LI-CI-O-SO!!!!!!

Eu que não gosto de polvo gostei muito desse prato. O Douglas, depois que o noodle acabou, ainda comeu com arroz.

Depois do almoço voltamos ao mercado para comprar roupas de frio.

O preço é incrivelmente baixo. Difícil imaginar quanto é o custo e quanto é o lucro do vendedor, de tão baixo que é o preço.

Além disso, ganhamos desconto sem pedir. Eita coisa boa!!! Podia ser assim em todas as lojas.

Voltamos mais tarde ao Peace Cafe para jantar. Comemos um grande prato de verduras e legumes com arroz por US$1,25 cada.

Me leva de leve - Viagem Vietnã 74 (1)

O tempero do Peace Cafe é muuuuito bom, aliás, em todos os lugares que comemos aqui em Dalat a comida estava ótima!!!


Para planejar a sua viagem para o Vietnã:

Opções de hotéis em Dalat para escolher e reservar agora pelo Booking. Confira aqui.
Opções de voos para Ho Chi Minh City para escolher e reservar agora pela Viajanet. Confira aqui.
Opções de seguro de viagem, com comparativo de preços. Confira e contrate aqui.