5 destinos para viajar na primavera do hemisfério norte

No dia 20 de março começou o outono no Brasil e a primavera no hemisfério norte, que vai de março a junho.

Geralmente as estações com maior concentração de turista são o inverno e o verão, pois coincidem com as férias escolares, então viajar na primavera é uma ótima opção se você deseja mais tranquilidade e economia, por ser baixa temporada na maioria dos lugares.

As viagens podem mudar o mundo? Um simples caso como exemplo

 

Quando tínhamos 14, 15 anos, ainda no século passado, no milênio passado, achávamos que o Rock poderia mudar o mundo. No fundo, ainda acreditamos nisso. Mas hoje em dia temos certeza que as viagens podem mudar o mundo.

Como? Bom, as viagens podem proporcionar experiências e conhecimentos sobre outras culturas, que podem nos fazer refletir sobre a nossa própria cultura e nosso comportamento em relação ao restante do mundo. A partir disso, preconceitos e ideias errôneas cristalizadas nas nossas cabeças podem ser substituídas por conhecimentos mais imparciais e verdadeiros, colhidos na fonte, que sim, podem mudar o mundo.

Ieyasu Matsuri em Okazaki (o dia em que paramos um desfile)

Pense em uma pessoa importantíssima na História de um país… Pensou? No caso do Japão, Ieyasu Tokugawa é o cara!.

Em 1603 ele chegou ao poder tornando-se o shogun (comandante feudal) que governou todo o território japonês. Antes dele existiam diversos pequenos shogunatos (feudos) e ele foi fundamental na unificação de todos os feudos que possuíam seus próprios shoguns. Esse passo foi importantíssimos para o nascimento do Japão da forma que ele é hoje.

Festival da flor de cerejeira, a época mais esperada pelos japoneses

 

Acabamos de entrar no outono, aqui no Brasil. Sabe o que isso significa? Que no hemisfério norte é primavera e a tão esperada florada das cerejeiras, conhecida como Sakura, está para acontecer.

Salva por saber o básico de japonês

Quando moramos no Japão, foram 3 anos e meio, aconteceu tanta coisa lá, são tantas histórias que resolvemos dividir com vocês algumas delas.

Logo que chegamos eu não falava quase nada em japonês, praticamente zero, no máximo um bom dia, boa noite, boa tarde, obrigada, desculpa e com licença. O Douglas já sabia formular algumas frases, por isso  uma das primeiras coisas que fiz quando cheguei lá foi me matricular em um curso de japonês para estrangeiros. Saber o básico de japonês me ajudou muito, vocês vão entender o porque.

História da foto – O dia em que os japoneses nos surpreenderam

Não podemos falar que nunca ganhamos nada em sorteios. Quando moramos no Japão, ganhamos 2 entradas para o show da Marisa Monte em Nagoya. O show foi bom e ela pensou que estava tocando apenas para japoneses, pois só falava em inglês, até que os brasileiros que eram a imensa maioria começaram a se manifestar em coro: FALA EM PORTUGUÊS!!! Sim, o show acabou sendo para expatriados.

Expo Aichi 2005 e a escolha do roteiro da viagem na Ásia

Se você acompanha o blog algum tempo, já sabe que nós moramos no Japão entre 2004 e 2007. O que você não sabe é que quando fomos para lá pensávamos em ficar apenas 1 ano e meio e voltar ao Brasil para terminar o curso de Turismo e Hotelaria. Já estava no plano tirar umas férias em Bali na volta, coisa de uma semana apenas.

Beisebol, o esporte nacional do Japão

O beisebol é o esporte nacional do Japão. Assim como os brasileiros são apaixonados por futebol, os japoneses são apaixonados por beisebol. O esporte, lá conhecido como yakyu, é o esporte nacional e é praticado nas aulas de educação física desde quando se começa a engatinhar (exagero, né?).

Durante o campeonato nacional, que acontece entre março e outubro, não se fala em outra coisa, principalmente nas 11 cidades onde acontecem os jogos das 2 principais ligas. Depois de muito assistir pela televisão, decidimos assistir no estádio para sentir melhor a paixão desse país.

Museu Comemorativo da Indústria e Tecnologia Toyota

O Museu Comemorativo da Indústria e Tecnologia Toyota é um museu de carros? Sim, mas de fabricação de carros. Fica na cidade de Toyota? Não, apesar do nome, o museu não fica lá e sim em Nagoya, no ex-parque industrial matriz da Toyota Spinning & Weaving, onde tudo começou em 1911.

Quando chegamos lá, nem passava pela cabeça que a empresa (originalmente Toyoda) era, lá no início do século XX, uma fábrica de tecidos.

Templo Osu Kannon, Nagoya

O Japão é um país repleto de templos de todos os tamanhos, de épocas de construção e de importância diferentes. Visitar o Japão e não visitar um templo é quase como ir a Roma e não visitar o Vaticano (porque não ver o Papa pode acontecer, como aconteceu conosco). Quem visita a cidade de Nagoya, na província de Aichi, não pode deixar de visitar o templo Osu Kannon. Nós fomos algumas vezes, pois morávamos em uma cidade bem próxima.

Sumô, o esporte mais tradicional do Japão

 

Nossa experiência em terras nipônicas até que foi bem completa. Participamos do Momiji Matsuri (Festival de Outono), do Hanabi (Festival de fogos de artifício, no início do verão), do Sakura Matsuri (Festival das Flores de Cerejeira), do Tanabata Matsuri (Festival das Estrelas), assistimos a um jogo de beisebol (baseball) Chunichi Dragons VS Giants no Nagoya Dome, visitamos templos importantíssimos em Kyoto, subimos o Monte Fuji e conhecemos o lado Hightech de Tokyo.

Exposição Fotográfica ‘Uma viagem pela Ásia’

É com imensa felicidade que convidamos todos para a exposição fotográfica “Uma viagem pela Ásia”.
A exposição conta com fotos inéditas do nosso mochilão na Ásia…

Segue o cartaz:

Trekking no Monte Fuji, Japão

Começamos o blog com o Monte Fuji, um dos principais pontos turísticos do Japão. Saímos de casa (cidade de Chiryu, província de Aichi) às 09h20 e fomos até a estação de trem principal da nossa cidade. Lá pegamos o trem expresso às 09h38 até a cidade de Toyohashi (também na província de Aichi). Esse trecho demorou uns 40 minutos.